Odeio escolher em Cardápios

a-dama-e-o-vagabundo

Sempre tive muiiiito problema em escolher comida em restaurante ou lanchonete, me pergunte se eu já comi algo além de Ribs on the barbie com Blooming Onion  no Outback e a resposta será não. Apenas CBO ou McNífico no McDonalds para não ter erro, e quando é um lugar novo eu acabo pedindo sempre: ‘o mesmo pra mim também, por favor’.

Cardápios me assustam! Não sei lidar com tanta variedade, pra que tanta variedade?!

Tudo fica ainda pior quando na legenda explicando cada prato você não consegue entender a diferença entre eles. O negócio é fechar os olhos e apontar pra um, ou escolher pela foto, e se preparar pra possível decepção.

Não seria diferente com o Tinder, Hornert, Grindr, Happn, Scruff, e tantos outros aplicativos de “socialização” gay; não sei pra que eu gasto memória do celular com isso!

Na verdade sei sim, ainda não inventaram maneira melhor para conhecer outro gay (mesmo não funcionando). Infelizmente casais homossexuais não se formam com a mesma facilidade e naturalidade do que os casais heteros. É muito Preconceito, medo e armário atrapalhando.

Estou com 31 anos, fora do armário desde os 21, sinceramente chega um ponto na vida em que você literalmente está cagando e andando pro que os outros pensam. Neste momento você começa a fazer escolhas mais sólidas, então, aquelas típicas frases de perfil em aplicativo – ‘no sigilo’, ‘discreto afim’, ‘Atv q Pass’, ‘Passivo com local’ – não servem pra descrever nada, sexo por si só não é mais o que você procura. Será que vai gostar se escolher algo tão superficial? Afinal, ‘comer’ por ‘comer’ pode até fazer mal a saúde.

Acho que nós não fomos educados para viver essa realidade virtual, não me lembro de existir um único filme onde o príncipe conhecesse a princesa pelo App no celular, quem dirá um Príncipe conhecendo outro Príncipe. Faltou preparação na infância para sobreviver a essa nova realidade de relacionamentos pseudo amorosos; e a consequência disso é ver, dia após dia, novos fios brancos nascendo na barba e nada de outro barbudo para compartilhar tais experiências. Ao contrário, apenas relacionamentos relâmpagos, que terminam na mesma velocidade que começaram.

Pessoas se unem por carência, e não por milhões de outras afinidades. A vida se tornou um grande rodízio, onde o lema é: Experimente de tudo um pouco, e que seja rápido, porque vem um prato atrás do outro.

Eu não consegui ficar totalmente fora desse esquema social, nem sei se é possível ficar fora dele. Por isso optei por ser um prato a mostra, e caso alguém faça o pedido decidiremos juntos se serviremos um ao outro, e quem sabe assim, como em a Dama e o Vagamundo, um romance aconteça ao fim de uma ‘macarronada’; assim ficaremos juntos enquanto, fio por fio, nossas barbas percam a cor.

Rafael Telles

Criei o GPA numa fase em que me encontrava no armário e foi com ele que consegui abrir as portas para o mundo. Minha intenção com o Gay por Acaso é apenas a de tentar fazer com que essa transição seja mais tranquila para todos que passam por essa fase (quase sempre difícil) de se assumir gay. Vou mostrar que essa é apenas uma das milhões de características que você tem, e a informação isolada de que você é gay não diz nada sobre você!

Related Posts

Discussion about this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *